quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Segunda-feira

Bom madrugada, amores e amantes!

Decidi postar hoje pra vocês meu primeiro conto.
Ainda precisa de umas revisões, mas tá aí.
Espero que gostem e se excitem!

Beijinhos molhados,

a Devassa


Segunda-feira

Era noite de uma segunda-feira. Nada melhor pra terminar o início de mais uma semana cansativa do que um bom sexo. Eles combinaram de se encontrar logo após a reunião dele. Enquanto esperava, ela tomava banho; sentia seus músculos cansados relaxarem enquanto a água corria pelo corpo de pele alva. O telefone toca, ele estava chegando e ela logo termina de se arrumar. Escolhe uma roupa casual e espera... imaginando mil possibilidades sobre o que está por vir. Eles se conheciam intimamente há pouco tempo, mas já se desejavam intensamente, cada vez mais ao decorrer de cada dia. Ele chega e ela vai ao seu encontro. Beijam-se com a voracidade de quem está preste a ser tomado pelas chamas do desejo. 
No caminho para o motel trocam olhares e jogam conversa fora. Ao chegar ao motel, sobem as escadas lentamente, ela na frente. Ali dentro, o mundo não mais existe. Esquecem-se do tempo e de todos os problemas e entregam-se um ao outro com todo o desejo que haviam guardado. Enquanto ele tira a roupa dela beija-lhe cada centímetro do corpo, e ela, entregue, beija-lhe o pescoço, suspirando em seu ouvido e puxando seu corpo cada vez mais perto. 


A cada suspiro dela, um olhar dele e um beijo mais fervoroso. Ela não agüenta mais, tira-lhe a roupa com cuidado, porém com pressa. Ao tirar-lhe a calça encontra seu membro duro, cheio de tesão, e cai de boca, lambendo e chupando com intensidade cada vez maior quando escuta seus gemidos de prazer. Ele pede pra ela parar, pois, estava com desejo de penetrá-la.
Ela sobe e suas bocas se encontram, ela arranha-lhe as costas e afaga-lhe o cabelo enquanto ele percorre o corpo dela com sua mão; parando em sua boceta molhada, pára de beijá-la e sorri com cara de safado e com más intenções. Ele vira pra ela e diz que assim não agüenta e desce até que seus lábios encontrem com os lábios de sua boceta encharcada de prazer. Ele beija toda a área fazendo com que ela enlouqueça a espera daquele oral maravilhoso. Ela geme de prazer e sussurra pedindo que ele comece logo a chupá-la. Ele não a obedece, olha para ela com sua cara de safado e a cada gemido dela encosta mais perto a língua de sua boceta até que ela, não agüentando, puxa sua cabeça até seus lábios que vão de encontro a sua boceta encharcada. Ele chupa e lambe-a brincando com a língua em sua boceta, ela o encara com olhar de desejo, mas logo joga a cabeça pra trás e aperta os lençóis, tamanha a voracidade com que ele a toma. A cada nova lambida, um novo gemido. Ela sente que vai gozar e ele percebe, sobe em cima dela com vontade e coloca o seu membro duro dentro dela com tamanha vontade que ela dá um gemido mais forte.
Sentindo todo o ardor de sua boceta o desejo sobe-lhes ainda mais, ele penetra-lhe com tesão cada vez maior, puxa-lhe o cabelo enquanto ela o arranha com todo o tesão que sente. Os músculos do corpo dela começam a se contrair involuntariamente enquanto ela se desmancha em prazer num gemido mais forte, gozando e encharcando todo o lençol. Ela o empurra pro lado e se joga em cima, tomando conta da situação. Antes de sentar sobre o seu membro ela chupa-o com mais vontade do que da primeira vez e depois senta com vontade fazendo-o gemer de prazer. Enquanto senta e levanta com vontade e rapidez ela desliza a boca pelo seu pescoço até chegar ao seu ouvido e sussurrar “sua vez, adoro sentir o seu líquido escorrendo na minha boceta”. Era tudo que ele precisava pra chegar ao ápice. Ele não agüenta mais e se entrega ao desejo de tomá-la por completo, fecha os olhos e morde o lábio gozando em abundância dentro daquela boceta que minutos antes havia feito encharcar. Por fim entregam-se, tomados pelo cansaço. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Arrasou! hahaha

Parabéns ;)

eroscarpo disse...

Gozei.

Postar um comentário